Blogueiro X Digital Influencer - Qual é a diferença?

sábado, maio 04, 2019

A era das Redes Sociais modificou a maneira como marcas e pessoas se comunicam. Hoje, com tantas plataformas ao alcance de todos, é possível conversar com os públicos de diversas maneiras, seja através de fotos, vídeos, podcasts e claro, por meio dos textos. E nessa onda do pós-digital que é o cenário em que vivemos hoje, muitas pessoas começaram a criar seus conteúdos devido ao fácil acesso que têm a essas plataformas. Hoje, para se tornar um influenciador, por exemplo, basta ter um smartphone. E, em meio a essas transformações, surgiu a confusão entre os termos blogueiro e digital influencer. O meu objetivo hoje é esclarecer sobre as duas funções para você que também tem essa dúvida.

O que é Blogueiro?
Bom, vamos partir do início... O primeiro blog (que na verdade era denominado weblog), foi criado por Jorn Barger, em 1997. A partir daí a ferramenta começou a ganhar as telas dos computadores pelo mundo todo, através de pessoas que o utilizavam como meio de se comunicar com o seu público. Respondendo a pergunta, um blogueiro é o indivíduo que possui um blog (endereço na internet) e nele escreve sobre um assunto específico. Um blogger (termo em inglês usado para a função) pode ser especialista na área de comunicação (ou não), como também pode ser especialista sobre o assunto que escreve (ou também não). Entre as plataformas mais utilizadas para criar um blog, destaco Wordpress, Blogger, Tumblr, Medium e Wix. 

Uma dica importante: Blogueiros devem ter conhecimento básico sobre HTML e SEO (Search Engine Optimization) para que o seu conteúdo seja indexado nas ferramentas de buscas, resultando em bons números de acessos.

O primeiro blog de moda no Brasil surgiu em 2006
Camila Coutinho é a anfitriã do blog Garotas Estúpidas, o primeiro sobre moda lançado no Brasil, justo na era de ouro dos blogs. Até hoje, a Camila e sua equipe alimentam a plataforma, mas não com a mesma frequência que há 13 anos. Ela também pode ser considerada uma digital influencer pelo trabalho que desempenha em seu Instagram @camilacoutinho, hoje com pouco mais de 2 milhões de seguidores.
Um blogueiro pode ser digital influencer?
Se além do blog o indivíduo utiliza alguma rede social (facebook, Instagram, youtube) para divulgar seu conteúdo e seus parceiros, ele também é um digital influencer. Este é o meu caso. Possuo o blog e também crio conteúdo para o meu instagram, que na maioria das vezes é pago pelas minhas empresas parceiras. 

O que é Digital Influencer?
Digital Influencer é uma figura que utiliza apenas as redes sociais (pode ser uma ou mais de uma) para divulgar seu conteúdo, empresas e fazer análises sobre serviços e produtos, influenciando diretamente no poder de compra dos seus seguidores ou de quem tem acesso ao seu conteúdo. Geralmente os influenciadores digitais escolhem um nicho para atuar. Temos influencers de moda, gastronomia, viagens, cinema, carros, jogos e muito mais. Como falei no início do texto, a atividade surgiu e cresceu significativamente nos últimos tempos, pois todos têm fácil acesso às redes sociais, principalmente por serem na maioria das vezes gratuitas, fator que possibilita o seu uso para a criação de conteúdo. 

Figuras públicas também são influencers
Dentro dessa categoria eu também considero pessoas que influenciam por si só, como as figuras públicas, por exemplo. Podemos incluir nessa lista, atores e atrizes, cantores, artistas, modelos, designers de diversas áreas e por aí vai... Eles também são influenciadores digitais. 

A atividade de influenciador digital não é considerada uma profissão e, sinceramente, acho muito difícil que um dia seja, pois não é necessário ter formação para executá-la. Mas os influenciadores são o elo de comunicação entre marcas e seu público, de maneira mais aproximada, através de um conteúdo autêntico, sem aquela cara de propaganda escancarada como estamos acostumados a ver na TV e nos outdoors pela cidade (salvo em algumas situações em que o influencer deixa claro que é uma parceria paga). Vamos considerar também que a obsolescência das mídias tradicionais (TV, revistas e jornais impressos), abriu espaço para que as marcas apostassem no digital como uma forma mais barata de anunciar e fazer a sua marca/serviço aparecer, por isso esse mercado cresce tanto. 

Números não bastam, é preciso ter engajamento e voz!
Seja no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube, sabemos que há um mercado negro por trás dos números de seguidores. Existem sim, influencers que vivem de mentiras, expondo números exorbitantes e irreais. Por isso, é importante para as marcas que desapeguem dos números na hora de escolher um influenciador. É necessário observar qual é a média de engajamento (curtidas, comentários e respostas), além da influência que a pessoa possui na sua cidade, por exemplo. Analisar o quão conhecido e levado a sério é o trabalho do influencer, é a métrica da voz que ele possui no meio digital. Além desses requisitos, para ser um digital influencer é necessário ter criatividade para criar um conteúdo interessante e relevante.

Resumindo, no universo digital, produção de conteúdo e autenticidade determinarão o futuro para quem quiser continuar influenciando, mas este será um assunto para outro post que escreverei em breve. 

Dúvidas esclarecidas? Espero ter ajudado.
Até a próxima!

Você também poderá gostar

0 Comentários

Curta no Facebook

Receba novidades no seu e-mail

Digite o seu e-mail: