Faltam 30 para os 30!

segunda-feira, agosto 07, 2017

Respirei fundo pra escrever esse post, afinal essa fase da vida é um grande momento de reflexão! No dia 6 de setembro eu comemoro 30 anos e exatamente hoje faltam 30 dias para a grande virada (pois o mês tem 31 dias). Essa idade não é nem um pouco fácil de se encarar, pois as responsabilidades, vontades e sonhos entram em conflito e acabam gerando ansiedade e frustrações que se tornam a temida crise dos 30. E é pra falar sobre ela e também sobre os planos que hoje estou aqui.

A terceira década é um divisor de águas. Fazer 30 anos é cair na real de que você já não é mais tão jovem, mas também não é velha. É se olhar no espelho e ver que na realidade está muito mais nova do que imaginava. É se dar conta de que não é tão madura assim. Eu achava que estaria muuuito bem sucedida, com carreira formada e que teria uma conta bancária super satisfatória. Me imaginei um pouco mais velha e usando umas roupas bem sérias (nada a ver comigo). Resultado: não é nada disso! Sou muito diferente do que a minha imaginação pretendia me relevar sobre os meus 30! Ainda bem... pois tudo tem o seu lado bom.
Cena do filme De repente 30
Fato é que mesmo antes dessa data chegar, a gente já começa a se sentir diferente. E esse sentimento que pode ser nomeado como "o que está acontecendo?" para alguns vem aos 27, para outros aos 29, e tem pessoas que nem sentem a crise dos 30 mesmo após o aniversário. Um dos sintomas é a mudança drástica de comportamento. Você passa a não gostar das mesmas coisas e programas que fazia, muitas vezes prefere ficar sozinho (a) no quarto do que sair, deixa de se importar com muitas coisas que antes te tiravam o sono, a auto-cobrança é imensa, e você se pergunta todos os dias onde está aquele emprego dos sonhos e porque não fez outra faculdade enquanto era tempo. Vê muito o lado negativo das coisas, porque nessa fase a gente costuma olhar para o que não conquistou ao invés de agradecer pelo que tem.

É um questionamento atrás do outro que vai te deixando maluca e te faz perguntar-se coisas do tipo: "o que estou fazendo aqui? ainda não entendi!" "quanto tempo de vida ainda me resta?", "será que farei aquela viagem dos sonhos?", "e se eu não tivesse feito as coisas daquele jeito, será que hoje estaria melhor?", "por que não comecei fazer exercícios aos 20?"... Enfim, mil perguntas passam pela minha cabeça todos os dias e a maioria delas não é boa. O fantasma da crise dos 30 me pegou ainda com 27, fase em que estava quase terminando a faculdade e sonhando com uma bela carreira. Após a formatura a frustração foi tanta que só fortaleceu esse dilema nos meus 28 anos. Já aos 29, me acostumei com os fatos e me fortaleci. A crise ainda existe, mas ela não é tão intensa.

Mas mesmo diante das turbulências dessa fase eu estou superanimada para o meu aniversário. Fazer 30 anos com certeza será algo mágico. De uns meses para cá, estou procurando ver só o lado bom das coisas, por isso não estou deixando a crise me afetar tanto. Agora, vejo os 30 como o início de tudo, de uma nova vida cheia de possibilidades. Deixo os sonhos falarem mais alto, pois são eles que me movem diariamente. Penso em aproveitar o tempo da melhor maneira, pois ele é valioso.
Transformação é a palavra-chave e ela não só ocorre internamente como também externamente, e é por ver as coisas mudando que a gente também muda. Quando olho para trás percebo o quanto me transformei e isso me assusta um pouco. Mudei muito a minha forma de pensar e a opinião sobre determinadas coisas, e isso fica evidente na chegada dos 30. Essas transformações acontecem em todos os setores, mas foi no profissional que ela me ocorreu mais. Como vocês sabem, sou jornalista. Me formei em jornalismo em 2015 e este era um sonho que tinha desde a adolescência. Tenho verdadeira paixão pela profissão, mas hoje penso em sair da área que amo tanto para trabalhar com algo que de fato me trará melhores oportunidades. Há dois anos jamais imaginei que tomaria essa decisão. 

Gerusa antes dos 30 X Gerusa depois dos 30
Eu odiava rosa e agora adoro rose gold. Não suportava eletrônico e quero fazer curso de DJ, queria ter casa, carros, um bom plano de saúde e hoje só quero viajar pelo mundo. Coisas que achava bonitas na adolescência agora pra mim são aberrações, amava cigarro e parei de fumar há mais de um ano porque peguei nojo, odeio lilás (era a minha cor preferida), to virando minimalista e não compro mais por impulso... Viu só como as coisas mudam? Além disso, o seu nível de exigência em relação às coisas e às pessoas aumenta muito nessa fase. Nada pode ser "meia boca", ou é ou não é. Estar próximo dos 30 é como entrar num jogo em que você não pode perder.

E esse jogo pode te matar se você não souber lidar com ele. Na verdade a crise existe por uma cobrança da própria sociedade, em que nessa idade já devemos estar bem sucedidos e com uma boa grana guardada ou já ter visitado pelo menos 6 países e falar três línguas fluentemente. Mas aí você acorda e vê que a realidade não é bem assim, por isso ela acontece com a maioria das pessoas. Mas é fato que todos podem viver bem da sua maneira, dentro das suas possibilidades e expectativas e sim, as conquistas vem no seu tempo para cada um! Portanto, não se cobre, e é isso que estou tentando fazer pra chegar aos 30 cheia de gratidão e energia. 

E os planos?
Aqui, já prefiro não dar muitos detalhes, mas o blog vai continuar só que de uma forma mais jornalística. Quem sabe até um canal no Youtube? Quanto à carreira, talvez eu experimente me aventurar como coolhunter, mas não está nada determinado.

Pra te ajudar na crise
Se você está encarando a crise, tenho uma receita pra aliviar as dores. O livro Enfim, 30 da Camila Fremder e da Jana Rosa vai ter fazer dar boas risadas ao invés de chorar por não poder sofrer em Paris, nessa fase tão difícil. Cada capítulo aborda um setor da vida que é atingido pela chegada dos 30. Elas falam sobre carreira, saúde e beleza, casamento, filhos, apps de paquera, ressaca, numerologia, amizades e moda, em uma linguagem pra lá de divertida.

Gente, é isso! Me desculpem o desabafo e espero que este post tenha te ajudado caso esteja passando pela mesma fase que eu.

Beijos e até a próxima!

Você também poderá gostar

2 Comentários

  1. Amei sua análise da fase dos 28 a 30 anos.
    Em algumas coisas, eu me senti igual a você quando completei essa idade.
    Agora tenho 34 anos e estou bem mais tranquila em relação a tudo.
    Beijinhos.
    www.aiecharme.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzane! Fico feliz que você se identificou com o post, realmente, essa fase não é nada fácil! Espero ficar mais tranquila após o aniversário. Beijos :*

      Excluir

Atenção: Seu comentário estará visível após ser aprovado

Curta no Facebook

Receba novidades no seu e-mail

Digite o seu e-mail: