Entrevista com a Mônica Salgado

segunda-feira, março 20, 2017


A jornalista Mônica Salgado esteve em Balneário Camboriú para o Talk Show do Elas Balneário, promovido no Balneário Shopping. Mais de 400 pessoas lotaram o Espaço Trends, e antes do evento começar, eu tive a honra de entrevistá-la! Sim, ainda estou extasiada com esse fato, pois sou uma fã de carteirinha! Eu perguntei pra Môni sobre jornalismo de moda no brasil (afinal a jornalista aqui quer umas dicas) e sobre os seus novos planos de carreira. 


Sobre Môni:
Foto: Guma Miranda
Mônica é uma mulher poderosa e cheia de energia, que interage com todo mundo nas redes sociais enquanto responde e-mails e resolve coisas do trabalho. Tem 37 anos (muito bem vividos), um bom humor contagiante, é casada com o cantor Afonso Nigro, ex-Dominó, e tem um filho lindo - o Bernardo, de oito anos. Sua rotina é programadíssima. Começa às 6h50, quando levanta para fazer ginástica. Depois volta para tomar café com a família e por volta das 11h30 segue para a redação da Glamour, a qual deixa nesta semana. Segue uma dieta regradinha a semana toda, mas no findi ela aproveita com muita sabedoria!

É formada em Jornalismo pela PUC-SP, com MBA em Marketing de Moda e sua carreira no mundo fashion despontou quando foi redatora-chefe da Vogue. Em 2012, assumiu a direção da Revista Glamour Brasil, a qual ela leva o mérito de transformar em uma grande marca, além de ser um belo case digital. Antes disso, fez muitos freelas para revistas como a Elle, TPM, Capricho, Exame, além de outros veículos de comunicação.

Vocês sabem que eu sou muito fã da Môni, e além de vê-la como uma super-woman, penso que ela é uma das melhores jornalistas de moda do Brasil e tem muuuuito conhecimento do mercado fashion. Vejam o que ela me contou na entrevista:

No Brasil, estamos fazendo o jornalismo de moda da forma certa?
O brasileiro é muito antenado no meio digital. Estamos na frente, temos o domínio disso. Somos menos tradicionais que outros países, mais desapegados e isso se traduz na prática. Acho que o jornalismo de moda no Brasil está sabendo surfar muito bem nessa onda do imediatismo, destacaria o nosso país como um dos mais antenados neste tipo de cobertura. Na Glamour, por exemplo, o Brasil sempre foi visto como um case digital. Fomos a primeira revista de moda a fazer um editorial exclusivamente para o Instagram e, aliás, os brasileiros sabem fazer Instagram como ninguém.

Em meio a essa era de transformações, quais as principais características que o jornalista de moda deve ter?
Sinceramente, eu acho que o jornalista é um ser arrogante, e eu senti isso com alguns colegas quando lançamos a primeira capa da Glamour só com blogueiras, em julho de 2013. Sofremos críticas severas, pois não entendiam porque estávamos dando voz para meninas que “seriam nossas concorrentes”. Isso acontece porque o jornalista foi o grande detentor do conhecimento de moda, sozinho, por muito tempo, e acho que ele ficou mal acostumado. Quando as blogueiras começaram a assistir desfiles nas primeiras filas gerou uma enorme discussão, eles ficaram muito sentidos. Mas na verdade é tudo uma grande bobagem, pois se as blogueiras estão conquistando espaço é porque está vago.

O jornalista tem que aprender a ser mais humilde, mais aberto, olhar para o novo e fazer acontecer; observar os fenômenos sem antes criticar, mas com interesse, pra tentar entender mesmo. O jornalismo tem que se comunicar. Se pergunte: como você se comunica, toca na vida das pessoas e muda a vida delas? Um bom jornalista tem que ser muito atento ao aos novos movimentos, plataformas e mídias, além de ler muito.

E agora, Môni, quais são os seus planos profissionais?
Penso em fazer muitas coisas... Tenho um projeto superquente na televisão, que estou viabilizando (torçam por mim); Quero muito escrever o livro ficção, nele vou contar um pouco do que eu vivi ao longo desses 10 anos entre Vogue e Glamour; Não quero mais atuar como jornalista reportando histórias, quero contar a minha história e fazer coisas das quais acredito, e o universo de palestras também me interessa muito. Trabalhei muito pra chegar até aqui, então vou me dar ao luxo de fazer só o que eu quero! (risos)

Você é um exemplo de interação nas redes sociais. Como você consegue conciliar toda a sua demanda, sua vida, com o meio digital?
Então, eu não sei se consigo. As pessoas me perguntam isso sempre, mas eu nunca estou 100% satisfeita com alguma área da vida. Posso chegar a 75, 80%, mas cem por cento mesmo não estou com ninguém. Então vou equilibrando os pratos, fazendo tudo dar certo, mas gosto muito do que eu faço, não sinto que é trabalho. Talvez o segredo de tudo seja que você deve ter várias paixões na sua vida. Eu por exemplo durmo bem, faço a minha ginástica todas as manhãs e acho que isso me dá disposição; faço dieta, mas não sou louca, no fim de semana fico com o marido e o filho, me permito fazer as coisas quando posso, e assim vou construindo minha sanidade mental.



A Mônica é um amor de pessoa e conhecê-la foi um sonho realizado. Ela deu um show de humildade, comprometimento e de vida, para toda a plateia que acompanhou o talk. Esta foi um noite que guardarei para sempre no meu coração. Espero encontrá-la muitas vezes mais por aí... 

Aproveito para agradecer toda a equipe de assessoria de imprensa e marketing do shopping, que são sempre muito atenciosos!

Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.

Você também poderá gostar

0 Comentários

Atenção: Seu comentário estará visível após ser aprovado

Curta no Facebook

Receba novidades no seu e-mail

Digite o seu e-mail: