O que o Amor constrói, o Facebook destrói!

terça-feira, dezembro 02, 2014


Este é o primeiro post que publico sobre relacionamentos e tenho motivos para isso. Há alguns dias, escrevi um artigo para um jornal desenvolvido em uma disciplina da universidade, sobre casamentos de 20, 30, 40 anos que acabam devido ao mau uso da rede social Facebook. Devido à repercussão do artigo, publicado em três jornais da região, decidi postar no blog, pois se trata de um assunto polêmico no âmbito virtual, que merece a nossa atenção e reflexão.
Infelizmente, a rede social contribui significativamente para os divórcios, tanto de jovens quanto das pessoas mais velhas (que foi o foco do artigo). Me inspirei em algumas histórias que vi acontecerem de perto, além de dados oficiais sobre divórcio e inclusão digital do público mais velho como respaldo para o texto. Vi um casamento de 35 acabar e outro de 43 ficar abalado devido ao uso de forma errada do Facebook. Como se calar diante disso? Não dá! Onde as pessoas estão errando? Esse artigo vale como conscientização para o público mais velho que se deslumbra com as redes sociais. 

O que o Amor constrói, o Facebook destrói!
O número de pessoas inclusas no mundo digital aumentou nas últimas décadas. Um dos fatores que contribui consideravelmente para esse aumento é o acesso à internet nas residências. Agora, não só os jovens fazem uso dessa tecnologia, o público mais velho também está entrando para esse mundo, especialmente nas redes sociais, como o Facebook.
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o número de pessoas mais velhas que acessam a internet no Brasil aumentou 222,3% no período de 2005 a 2011. Conforme pesquisa realizada pela empresa Telehelp hoje, 66% dos idosos brasileiros utilizam a internet. A pesquisa apontou o Facebook como a rede social favorita da terceira idade, confirmada por 95% dos entrevistados.
Diferente dos jovens, uma parcela dos idosos utiliza o Facebook, diga-se de passagem, de forma errada e as consequências são nada boas. Um dos exemplos disso são casamentos de 30, 40 anos dignos de confiança e respeito, que acabam devido ao mau uso da rede social. Entre as condutas dos usuários mais velhos que utilizam a rede para “sair da rotina”, podemos considerar comentários em perfis do sexo oposto, conversas, início de “amizade” virtual, curtidas frequentes em fotos e publicações de determinada pessoa, além da pesquisa, salva pelo Registro de Atividades.
Parte do público jovem também faz uso dessas formas, mas a minoria deixa rastros que possam revelar uma possível traição, se for o caso. Já os mais velhos, acabam por deixar as provas em conversas, comentários, curtidas, além do comportamento estranho. Permanecer muito tempo na internet inclusive de madrugada, fechar páginas rapidamente e demonstrar desconforto quando o cônjuge se aproxima, não desgrudar do celular e não permitir que o parceiro (a) veja conversas no bate-papo do Facebook são alguns dos sintomas que o casamento pode estar arriscado pela internet.
Em 2009, o Facebook foi apontado pelo site Divorce Online, através de uma pesquisa, como o principal causador do fim dos casamentos no Reino Unido. A cada três divórcios, um era devido à rede. Esse número revela a complexidade da maior rede social do mundo criada até hoje. Os usuários sempre descobrem maneiras diferentes para utilizá-lo, sejam lá boas ou ruins.
Fato é que o mau uso do Facebook está acabando com os casamentos, não só do Reino Unido como do mundo todo, especialmente do Brasil. Segundo o IBGE, o número de divórcios aumenta a cada ano entre os brasileiros. A elevação desse número foi expressiva em 2011, devido à mudança na lei que facilitou o processo. Mais de 350 mil divórcios foram concedidos naquele ano.
Nem a confiança, a cumplicidade, o respeito e os princípios religiosos (uma Bíblia debaixo do braço não disfarça os erros), são capazes de salvar matrimônios de décadas envenenados pelo mau uso do Facebook. Alguns usuários mais velhos se deslumbram com a internet e acreditam ali ser o âmbito que podem fazer aquilo que bem entenderem. Nessas horas, os valores e o respeito se perdem na linha tênue entre o real e o virtual, que aproxima quem está longe e afasta quem está perto, em particular quem um dia jurou amor eterno.
_________________________________________________________________________________

Você conhece alguém que está passando ou já passou por isso? Algo parecido já aconteceu com você? Deixe a sua história nos comentários. Não é necessário se identificar. Sua história é importante para contribuir com esta reflexão ;)


Sobre a Autora: 
GERUSA FLORENCIO Gerusa Florencio 
Autora do blog, 27 anos
virginiana, estudante de Jornalismo
adora maquiagem, mas sua grande paixão é a moda.
Me siga no Instagram e Facebook

Você também poderá gostar

0 Comentários

Atenção: Seu comentário estará visível após ser aprovado

Curta no Facebook

Receba novidades no seu e-mail

Digite o seu e-mail: