A arte da Alta-Costura

segunda-feira, julho 10, 2017

Desfile da Chanel Haute Couture Fall 2017/18. Foto: Agência Fotosite

Entre os dias 2 à 6 de julho, aconteceu a Semana de Moda de Alta-Costura Outono/Inverno 2018 em Paris. Neste ano, 21 grifes devidamente autorizadas à usar o termo Haute Couture pela Chambre Syndicale de la Haute Couture apresentaram as suas criações na passarela. O evento é fechado apenas para a imprensa, algumas celebridades escolhidas à dedo e clientes das marcas (pessoas mais ricas do mundo), somando pouco mais de 500 pessoas. Como em todas as edições, esse universo remete à um verdadeiro conto de fadas, com os vestidos mais deslumbrantes do mundo feitos incrivelmente à mão. A criatividade ocupa o espaço da tendência, e a manifestação de arte fica clara na passarela. Cada detalhe é inspiração suficiente para uma boa poesia, e não é à toa que a Haute Couture é um espetáculo à parte. 

O que é Alta-Costura?
Embora muitas marcas por aí, inclusive brasileiras, se autodenominem alta-costura elas não são. Esse termo só pode ser utilizado pelas marcas devidamente registradas na Chambre Syndicale de la Haute Couture - Sindicato da Alta-Costura, criado em 1868 por uma associação de artesãos, em Paris. Existem várias regras que a marca deve seguir para produzir as peças, entre elas possuir um ateliê próprio, com no mínimo 20 especialistas em técnicas manuais. Um dos fatores de caracteriza a alta-costura é que a roupa deve ser feita à mão, com exclusividade e sob medida, com materiais da mais alta qualidade. Nesse caso, orçamento não é problema, mas esse sistema não dá lucro para as marcas.
No caso da Semana de Moda, só podem participar as marcas autorizadas a usar o termo por meio do sindicato e convidados especiais, que no caso criam um prêt-à-porter de luxo com técnica de alta-costura para apresentar na passarela. A edição outono/inverno 2018 teve como convidados a norte-americana Rodarte, Proenza Schouler, Ronald Van Der Kemp, AF Vandevorst e Atelier Versace.
O destaque da edição fica por conta da criatividade, que ultrapassa a nossa imaginação, já que o budget é alto e o céu é o limite. A alta-costura vai na contramão das tendências e tampouco está no topo da pirâmide, mas é ela que inspira todo o sistema da indústria da moda por meio das técnicas utilizadas. O que chama muito a atenção é a exclusividade e a magia do tempo que parece não passar, com as técnicas manuais preservadas desde o século XIX. Há quem pense que alta-costura é composta só por vestidos de festa de gala e de noivas, mas essa indústria vai muito além! Várias composições com calças, blazers, saias, dentre outras peças deram o ar da graça em Paris. Veja alguns destaques:

Iris Van Herpen
Viktor & Rolf
Zuhair Murad
Atelier Versace
Chanel
Dior
Fendi
Giambattista Valli
Ronald Van Der Kemp
Elie Saab
A alta-costura é simplesmente mágica! Que ela continue sendo preservada através do tempo.
Beijos e até o próximo post.

Fotos: Agência Fotosite

Você também poderá gostar

0 Comentários

Atenção: Seu comentário estará visível após ser aprovado

Curta no Facebook

Receba novidades no seu e-mail

Digite o seu e-mail: